Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Desdobrei a minha orfandade
sobre a mesa, como um mapa.
Desenhei o meu itinerário
até ao meu lugar ao vento.
Os que chegam não me encontram.
Os que espero não existem.

E bebi licores furiosos
para transmutar os rostos
num anjo, em copos vazios.

Alejandra Pizarnik (1936-1972)
Trad. Alberto Augusto Miranda

1 comentário: