Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 16 de julho de 2009

"ne me quitte pas" por Dee Dee Bridgewater

15 comentários:

  1. Que maravilha!... :D
    Conhecia esta versão (que faz parte de um CD que tenho da Dee Dee) mas não me lembrava dela. :)

    ResponderEliminar
  2. mil e duas! :-)

    os rebanhos aindanos estrafegam , jesussssssss

    ResponderEliminar
  3. Pronto, lá vou eu ser desmancha prazeres - prefiro a versão de Jacques Brel :)

    ResponderEliminar
  4. Desmancha prazeres!
    ... ó Júliaaaaa, olha Ela...(gargalhada)

    ResponderEliminar
  5. a Cristina é conservadora, ainda não se habituou ao som LOL

    ResponderEliminar
  6. Bom, eu não sou conservadora mas prefiro, também, o Brel. Ele tem um sofrimento e uma dor na voz mais perto da letra da música :-)
    (e sim, adoro Brel)

    ResponderEliminar
  7. Óptima versão mas o Brel é o Brel, desculpem lá. E esta canção foi feita em circunstâncias muito especiais, não é uma ficção... o que dá à interpretação dele aquela força e dramatismo que nenhuma outra tem.
    As grandes canções têm sempre muitas versões, e esta tem várias excelentes.

    ResponderEliminar
  8. não tens que pedir desculpa, Ana,estás a formular a tua opinião!

    ResponderEliminar
  9. "Desculpem lá" é uma força de expressão, não é exactamente um pedido de desculpas, Júlia.
    Claro que é só a minha opinião, já sabes que eu sou veemente quando a dou... :-)

    ResponderEliminar
  10. Ah, desculpa lá, é que eu não conhecia essa forma de expressão!!!

    ResponderEliminar