Pesquisar neste blogue

domingo, 7 de junho de 2009

What is that?



Pai e filho estão sentados num banco. De repente aparece um pardal.

Obrigada ao José que mo enviou!


11 comentários:

  1. eu comovi-me também MFC..lembrei que fui a menina dos olhos de meu pai.

    ResponderEliminar
  2. Mister, filhos e Quintana é o seu ponto fraco .

    ;D

    ResponderEliminar
  3. Júlia, a menina é uma querida, sabia? Digamos que são alguns dos muitos pontos fracos. ;)

    ResponderEliminar
  4. Pois é, Júlia. A gente, às vezes, esquece-se do que os nossos pais nos deram, quando precisávamos deles. Penso que nunca conseguimos retribuir completamente.

    ResponderEliminar
  5. Já aqui vim tantas vezes... conhecia este vídeo e sempre que o vi fiquei emocionada.
    O meu pai foi um homem inteligentíssimo mas foi apanhado pelo alzheimer e com a velhice... Os últimos tempos foram-me difíceis porque me custou aceitar o empobrecimento intelectual, o esquecimento, a falta de memória que lhe observava dia-a-dia.

    Só uma coisa me apazigua: ter sido capaz de lhe responder, de todas as vezes, com carinho, às três ou quatro perguntas que ele me fazia e repetia, sem descanso.

    Creio que nunca escrevi isto. E pelo que sinto ao escrevê-lo, percebo, mais uma vez, que o luto não está feito.
    Um beijinho e bom descanso.

    ResponderEliminar
  6. eu perdi os meus Pais abruptamente, num curto espaço de tempo, com AVC. é um choque muito grande, mas conservo deles uma imagem bonita. fui criada com muito mimo, era a menina dos olhos do meu pai e ainda me sinto orfã, Fugi..

    bem querer meu :-)

    ResponderEliminar
  7. Boa noite, amiga. Me desculpe invadir assim seu blog, mas vi num outro blog (dos Veinte Peoems de Amor...) um comentario seu sobre posuir esses poemas em mp3. Você poderia dividir comigo? Um abraço e obrigado pela atençao

    ResponderEliminar
  8. Recordo que aos 5 anos VI morrer a minha mãe.
    É a coisa mais marcante duma vida, (só mais tarde me apercebi a diferença entre vida e morte).
    Na altura só me lembro de ver o meu pai chorar.
    Esperou que ele chegasse a casa ao fim do dia, mandou chamar-me e partiu.
    Foi assim que me apercebi que a vida não tem valor e os valores somos nós que os cultivamos e incutimos.
    Por isso tentei criar os filhos, sem diferenças de sexo ...
    Já estão lançados e não me arrependo de nada.

    Comovi-me, mas o meu coração é fraco ...

    ResponderEliminar
  9. Dentro de dias chegará a data em que há 15 anos fiquei orfã pela primeira vez. Há dias fez 11 em que fiquei pela segunda. Da primeira fiquei desprotegida, da segunda senti que estava sózinha no mundo. Perdermos os nossos pais é muito duro.

    ResponderEliminar