Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 13 de abril de 2009

vestida de palavras

óleo sobre tela de robert andersen

vestiu-se de memórias. ou talvez de sonhos.
confundida com as personagens do romance que nunca terminou,
vestiu-se de palavras luminosas, com frases tão belas quanto os afectos e entrou lá, no lugar onde as palavras jamais cessam de nascer.


8 comentários:

  1. obrigada, querida Fugi, fico feliz porque gostou e por vê-la por cá :-)

    ResponderEliminar
  2. Eu também achei bonito... mas onde raio é o lugar onde as palavras jamais cessam de nascer, Júlia?...

    ResponderEliminar
  3. ...talvez nos sonhos, Mike ou no livro que se lê, sonhando..

    :-)

    ResponderEliminar
  4. Estava eu à procura do autor do texto e afinal é a Júlia! Belo e misterioso... como a Autora.

    ResponderEliminar
  5. fantástica legenda Querida Júlia .. onde nos perdemos nas memórias (perco-me demais eu .. )

    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Nesse jardim secreto ondem elas nascem sob os nossos sonhos...


    um beijo julia

    ResponderEliminar