Pesquisar neste blogue

terça-feira, 14 de abril de 2009

Palavras


Nenhum ramo
é seguro. Frágeis
são as palavras.
***
Albano Martins

8 comentários:

  1. As acções costumam ser mais consistentes
    para o bem e para o mal.
    risos

    beijinho saudoso

    ResponderEliminar
  2. agora disseste tudo , Minucha :-))

    saudades também!

    ResponderEliminar
  3. São frágeis e leva-as o vento... ou estou a tresler? ;)

    ResponderEliminar
  4. E ao lê-la, deu-me para ficar com a Dalida no ouvido: «encore des mots toujours des mots... des mots fragiles... Paroles, paroles, paroles»
    :-)

    ResponderEliminar
  5. E frágeis são também os sentimentos que as levam a ser pronunciadas...

    ResponderEliminar