Pesquisar neste blogue

terça-feira, 31 de março de 2009

"O que é a Verdade?"


"Um dia, a Verdade decidiu visitar os homens, sem roupas e sem adornos, tão nua como o seu próprio nome. Só que todos os que a viam lhe viravam as costas de vergonha ou de medo, e ninguém lhe dava as boas-vindas. Assim, a Verdade percorria os confins da Terra, criticada, rejeitada e desprezada. Uma tarde, muito desconsolada e triste, encontrou a Parábola, que passeava alegremente, trajando um belo vestido muito elegante.
— Verdade, por que estás tão abatida? — perguntou a Parábola.
— Porque devo ser muito feia e antipática, já que os homens me evitam tanto! — respondeu a amargurada Verdade.
— Que disparate! Não é por isso que os homens te evitam. Toma. Veste algumas das minhas roupas e vê o que acontece. — sorriu a Parábola.
Então, a Verdade vestiu algumas das lindas vestes da Parábola, e, de repente, por toda parte onde passava era bem-vinda e festejada.
*
Os seres humanos não gostam de encarar a Verdade sem adornos. Eles preferem-na disfarçada. ". ( texto adaptado por mim "A Parábola e a Verdade, conto judaico)
***
Dedico com carinho este postal ao Joaquim do blog "O que é a verdade" que festeja hoje três anos, com o privilégio que é acompanhar o seu caminho.

Imagem: estátua que dispensa apresentações, roubada à Cristina daqui, onde constam as explicações.

11 comentários:

  1. ...obrigado por mais uma pérola, que vou tentar encastrar numa armação um pouco diferente, ainda esta semana. uma forma delicada de procurar explicar a adolescentes que a Verdade, nua e crua, não é tão atraente quanto a que se esconde em véus translúcidos, mas não mentirosos.
    bem haja,
    J.

    ResponderEliminar
  2. :-)
    Drengo, não é tão atraente e às vezes pode tornar-se numa indelicadeza, falta de educação, de tacto para com o nosso semelhante,etc.

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Bola adaptação, Júlia!

    (Tenho de ir dar os parabéns ao Joaquim...)

    ResponderEliminar
  4. e muito bem adaptado Querida Júlia :) A verdade pesa. Dói. E na maioria das vezes se não é o que queremos ouvir, parece-nos uma quase mentira. Não é.

    :)

    ResponderEliminar
  5. Caríssima amiga Júlia

    Deixa-me sem palavras!

    Não só pelo seu gesto que me tocou profundamente, mas também pela beleza do texto que nos dá.

    Realmente a Verdade é muitas vezes incómoda, por isso mesmo, Jesus Cristo que é a Verdade, incomodou bastante alguns do Seu tempo e ainda continua a incomodar.

    Não sei como lhe agradecer a não ser da forma que mais vezes faço e é que rezar por si para que o Senhor a abençoe, guarde e proteja.

    Abraço muito amigo, agradecido em Cristo a Verdade.

    Já agora perdoe-me, mas onde escreve: «respondeu a amargurada Parábola», não será, «respondeu a amargurada Verdade»?

    Mais uma vez obrigada e desculpe este preciosismo!

    ResponderEliminar
  6. Julia, não sei se você leu a entrevista do Flávio Gikovate, sábado ou domingo na Ilustrada!
    Vale a pena tentar localizar, porque ele fala "umas verdades" sobre a verdade. Ou sobre a mentira, o que dá no mesmo.
    Ele diz, que a mentira, é relativa. Que é atributo da inteligência humana. Que mentimos desde a mais tenra idade. E que as vezes falar a verdade nua e crua é um exercício de crueldade. E que aqueles muitos cônscios de "sua" verdade, são as vezes egoístas e presunçosos. E dá exemplos.
    Aliás, como dizia Cazuza, "mentiras sinceras...."
    abs

    ResponderEliminar
  7. muito obrigada, amigo Joaquim, não haverá melhor e maior retribuição do que as suas orações!

    já corrigi o erro e mais algumas imperfeições, obrigada mais uma vez.

    ResponderEliminar
  8. Frodo Balseiro,

    Chegou ao ponto com o qual tantas vezes nos confrontamos e eu queria tanto falar. Há pessoas que confundem tudo. Colocam acima da Verdade a Crueldade e ainda por cima, fazem gala e apáginio disso, semue entendam que é falta de sensibilidade para com o Outro.

    Dizemos que algumas crianças mentem e no entanto, apenas fantasiam a verdade delas, bem mais linda :-)Outras, atingem os adultos com verdadeiras BOMBAS, porque ainda nao têm consciência dos sentimentos dos outros nem aprenderam a comportar-se.

    abraço e obrigada pela visita

    ResponderEliminar
  9. E ainda há quem não goste da verdade, quer vestida ou despida...

    ResponderEliminar
  10. é lamentável a necessidade de adorno

    era tão mais bela a simplicidade

    mas é assim a "massa humana"

    ( felicíssimas a escolha e a tua adaptação .parabéns ,Júlia )

    .
    um beijo

    ResponderEliminar
  11. Linda a adaptação da parábola tão verdadeira, triste a conclusão - mas é assim mesmo...
    Beijinho, Júlia

    ResponderEliminar