Pesquisar neste blogue

terça-feira, 3 de março de 2009

evasão*


submerso pela sombra mínima
do esquecimento
enrosquei-me entre rostos passados
porque a nenhum reconheci
fechei os olhos lentamente
como se fecha a caixa de um tesouro
inexistente
***
Nuno Higíno, in No Silêncio da Terra
**
imagem: Óleo sobre Tela ,"La sieste ivoire"
de Francine Van Hove
Titulo meu*

4 comentários:

  1. Triste, alguém que esquece o passado pois dele não retira boas memórias.
    Gostei da tela, naif, mas bonita.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Não gosto muito da imagem, mas o poema é lindo.

    ResponderEliminar