Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 16 de março de 2009

As coisas boas que a vida tem - Oferta da Sum



Para se apreciar as coisas boas da vida é preciso estar de feição, é preciso estar virado para esses lados. Não sei explicar qual é o estado ideal, se é que o há. Sei que os sentidos precisam de estar alerta, a nossa mente aberta e o nosso corpo receptivo, a partir daí é deixar entrar…
As vezes andamos à procura da felicidade como um todo, mas será que ela existe dessa forma? Então porque é que nunca nos sentimos plenos?
Cada vez mais me convenço que a felicidade é feita de pequenos nadas. Aqueles que nos trazem tudo o que somos, que nos dão referências e que nos tornam grandes no sentir.
Cada vez mais me convenço que são as associações de coisas tão simples como apreciar a Lua e sentir calma, apanhar um raio de sol e sentir um arrepio, ver um pôr-do-sol e sentir paz, ouvir o mar dentro de nós e sentir vida, ter um abraço e surgir um sorriso, dar um beijo e receber outro que nos fazem felizes.
Assim, são todas as pequenas coisas que conseguimos ver, cheirar, tocar, ouvir, sentir, saber, que nos trazem felicidade.
Como tal posso dizer que este blog, que hoje faz anos, me fez feliz e traz-me felicidade. Ele mostra-nos coisas bonitas e ensina-nos coisas fantásticas, faz-nos sentir...


NOTA - A Sum, do "Coisas da Vida" é uma das coisas mais bonitas que me deu o Privilégio dos Caminhos. Obrigada, Sum!

3 comentários:

  1. Quem agradece essas palaras boas sou eu Júlia.
    Um beijo grande

    ResponderEliminar
  2. A felicidade é esse conjunto de pequenos nadas que nos enchem e até, por vezes, transbordam.
    Procuramos uma coisa grande, ampla, vistosa, grandiosa e temos á nossa beira aquela insignificância, aquela palavra que chega do desconhecido mas que nos enche ... enfuna as velas e nos obriga a velejar.
    É isto que nos prende a algo que nem conhecemos ... que poderá ser um anjo ou um monstro, mas é e será sempre uma palavra.

    Uma boa noite!

    ResponderEliminar
  3. Amiga Privilegiada, eu, nos meus idos de 70, até de cor sabia as letras das canções do James Taylor. Casava bem comigo toda aquele amor e melancolia... ai que anos! Parece que foi noutra vida!

    Ainda tenho alguns discos (45 rotações)dele...

    ResponderEliminar