Pesquisar neste blogue

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Metafísica Poética

A Minucha da Claras Manhãs indicou-me para esta corrente na qual já tive o prazer de entrar uma vez. As regras são estas:
Pegar o livro mais próximo e na pág. 161 trasncrever a 6ª frase e escrever sobre.
O livro mais próximo de mim tem apenas 93 páginas. À semelhança da Minucha, escolhi o poema da pág. 61 .
Um poema não se explica, vive e é a kinesis de cada um. Ei-lo:

"Existir é coexistir!

Nada está isolado.
O todo não é o seu todo.
É também o vazio,
inteiramente interligado.

Kinesis é a vitalidade
nas manifestações
entre o inverso e reverso
das conexões reais.

A substância é a diversidade.
Tudo é dúctil, tudo é movimento
e mudança.

Tudo tem o seu próprio tempo. "

"Metafisica Poética" de Vicente Ferreira da Silva, pág. 61



Passo esta ciranda bela a Cleo, Luís, Mike, Luisa, Vicente, Marie, Flip, CM, Ermo, Drengo

9 comentários:

  1. obrigado... e vou tratar de dar seguimento agora....

    ResponderEliminar
  2. Júlia, vim aqui para lhe dizer que ainda estou a trabalhar. Mas quando chegar a casa assim farei. :)
    Pode ser um do Calvin? (risos)... just kidding. :)

    ResponderEliminar
  3. Júlia,

    nem tenho palavras! só gratidão!

    Vicente

    ResponderEliminar
  4. Júlia, querida, estou trabalhando feito uma doida. Só agora vi que me mandou essa incumbência. Amanhã mesmo posto uma página 161 do primeiro livro que estiver na minha frente, prometo!
    Um grande beijo, querida.

    ResponderEliminar
  5. Júlia
    uma correnteza...mas acedo, com prazer, vamos lá a ver..é que o livro que estou a ler ainda vai a meio e quer-me passar para a pág 161, malandra! Mas tá bem ;-)
    obg

    ResponderEliminar
  6. Obrigado Júlia, por teres acedido à corrente....que não de pescoço
    risos

    Escolheste maravilhosamente, como costume.
    Se gostei! uma realidade, quase uma profecia.

    beijinho grande

    ResponderEliminar
  7. Vou tratar do assunto ok? Mas dê-me tempo, querida Júlia, que eu agora, apesar de feriado, vou agarrar-me a uma literatura mais chata...

    ResponderEliminar