Pesquisar neste blogue

domingo, 11 de janeiro de 2009

dos afectos


O afecto é um fabricante de ilusões, e quem quer que deseje o real deverá ser uma pessoa desinteressada. A partir do momento que sabemos que uma coisa é real, já não conseguimos estar ligados a ela. O afecto não é mais do que a insuficiência do sentimento da realidade. Estamos envolvidos com a posse de uma coisa porque acreditamos que se deixarmos de possuí-la, ela deixa de ser. Muitas são as pessoas que não sentem, com toda a sua alma, que existe uma diferença absoluta entre a destruição de uma cidade e o seu exílio irremediável longe desta mesma cidade.


Simone Weil [1909-1943], in 'A Gravidade e a Graça'.


Dedico aos leitores que não conheço e a todos a quem ainda nada dediquei, porque quero soltar-me da obrigação da promessa que fiz de ofertar um post a cada um.


Foto: sinceramente já não sei a quem pertence. Prometo investigar :-)

15 comentários:

  1. Eu faço batota e faço de conta que ainda não me conhece... também quero este post em que a Simone Weil nos fala do afecto... pode ser Júlia?... ;D
    (sorriso travesso de menino pedinchão)

    ResponderEliminar
  2. mas o menino não me conhece mesmo, o post é seu também, e depois ninguém viu o post a si dedicado, acho..
    :-P

    ResponderEliminar
  3. há pedinchices queridas :-)

    vocês são um sucesso!

    Afecto eu fosse, ele seria vosso, amigos!

    ResponderEliminar
  4. ... ou entre a morte de uma pessoa e a sua maior ausência da nossa vida!
    E porque não percebbem essa diferença, acham que quem está mais ausente é como se tivesse morrido.

    Tive o privilégio de ter uma dedicatória, mas recebo também mais este bocadinho de afecto em forma de palavas que deixas aqui. Sim, também fabricas ilusões neste blog, o que não é necessariamente mau.

    :-)

    ResponderEliminar
  5. Da Simone Weil só pode ser para mim, pois claro...

    ResponderEliminar
  6. Cara Júlia,

    Embora sem concordar completamente com o pensamento de Simone Weil, sobretudo nas frases sequentes à primeira afirmação, saúdo a citação de alguém não muito conhecida, mas com obra meritória.

    Bom início de semana.

    ResponderEliminar
  7. Obrigada, querida Júlia; aceito este também :-D

    Um beijinho e uma excelente semana :-)

    ResponderEliminar
  8. e tantas são aquelas que se não amadas simplesmente não existem .. :)

    Lindo este Júlia e de repente fez-me lembrar "os desconhecidos? são só amigos que ainda não conheço."

    Beijinho e boa semana *

    ResponderEliminar
  9. Um verdadeiro gourmet filosófico!

    Profundo e desafiante para reflectirmos sobre a essência dos "nossos" afectos...

    Beijinh*

    ResponderEliminar
  10. Querido Nelson, tu és o unico amigo do Privilégios que conheço olho no olho e antes de sermos seres virtuais, não és uma ilusão, somo amigos :-)

    ResponderEliminar
  11. é para si, pois claro que é, CM :-)
    o amigo merece!

    ResponderEliminar
  12. António Viriato, o texto é polémico, sim, nem sei o que pensar , tambem não concordo com tudo, grças a Deus!

    ResponderEliminar
  13. Querida Suzanna vê-se âo olhar para o teu olhar sereno que vais ao fundo das coisas, beijinho para ti!

    ResponderEliminar