Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

creio



Creio nos anjos
que andam pelo mundo
Creio na deusa
com olhos de diamante
Creio em amores lunares
com piano ao fundo,
Creio nas lendas,
nas fadas, nos atlantes,

Creio num engenho
que falta mais fecundo
De harmonizar
as partes dissonantes,
Creio que tudo é eterno
num segundo,
Creio num céu futuro
que houve dantes,

Creio nos deuses
de um astral mais puro,
Na flor humilde
que se encosta no muro
Creio na carne
que enfeitiça o além

Creio no incrível,
nas coisas assombrosas,
Na ocupação do mundo
pelas rosas,
Creio que o amor que tem asas
de ouro. Amén


Natália Correia


Dedicado à Ana V

7 comentários:

  1. Ana Moura e Natália Correia!

    Que bem que ficaram juntas.

    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Ela era formidável... acreditava nas pessoas!

    ResponderEliminar
  3. Minucha e MFC,
    eu já tinha colocado antes este poema de Natália Correia, nem sabia que Ana Moura o cantava..

    ResponderEliminar
  4. Minucha e MFC,
    eu já tinha colocado antes este poema de Natália Correia, nem sabia que Ana Moura o cantava..

    ResponderEliminar
  5. Creio no amor, que tem asas... não interessa nada se feitas de ouro ou não; desde que nos sejam leves e nos façam voar :-)

    ResponderEliminar
  6. Querida Júlia, muito obrigada pelo presente! E já me conheces um bocadinho... "amores lunares
    com piano ao fundo" são completamente o meu género. O poema da Natália (tudo o que ela escreveu, aliás) tem uma força espantosa, e a Ana Moura é uma das vozes portuguesas de que eu mais gosto. Portanto, acertaste na mouche!

    Beijinho e Bom Ano, cheio de boa poesia.

    ResponderEliminar
  7. Esqueci-me de dizer que creio, creio sempre. Na vida, pelo menos.

    ResponderEliminar