Pesquisar neste blogue

sábado, 27 de dezembro de 2008

A casa das palavras


"Na casa das palavras, sonhou Helena Villagra, chegavam os poetas. As palavras, guardadas em velhos frascos de cristal, esperavam pelos poetas e se ofereciam, loucas de vontade de ser escolhidas: elas rogavam aos poetas que as olhassem, as cheirassem, as tocassem, as provassem. Os poetas abriam os frascos, provavam palavras com o dedo e então lambiam os lábios ou fechavam a cara. Os poetas andavam em busca de palavras que não conheciam, e também buscavam palavras que conheciam e tinham perdido.

Na casa das palavras havia uma mesa das cores. Em grandes travessas as cores eram oferecidas e cada poeta se servia da cor que estava precisando: amarelo-limão ou amarelo-sol, azul do mar ou de fumaça, vermelho-lacre, vermelho-sangue, vermelho-vinho...

Eduardo Galeano, in o Livro dos Abraços

Dedicado à Luisa

10 comentários:

  1. É nas palavras que residem os sentimentos... tal como no coração reside o carinho...

    Um Grande Abraço Natalício e que tenhas uma excelente entrada em 2009 ;))

    ResponderEliminar
  2. Fico com o vermelho!
    Qual?! Aquele que te fizer menos falta!

    Lindíssimo texto.

    ResponderEliminar
  3. Que loucura de livro! Incrível!

    A Júlia descobre cada tesouro!

    ResponderEliminar
  4. Posso ficar com o a amrelo-sol? :-)

    Espero que o Natal tenha sido feliz!
    Um beijinho colorido :-)

    ResponderEliminar
  5. Fico com o verde-esperança...de cá voltar...Muito bom o blog...

    ResponderEliminar
  6. E os que não são poetas também andam em busca de palavras que não conheciam aqui, no Privilégio dos Caminhos, da menina Júlia. :-)

    ResponderEliminar
  7. Querida Otília, são o palco dos olhos , dizia Allmada Negreiros.

    e fazem bater mais rápido o coração.

    beijos e um grande 2009 para ti
    -----------------------

    MFC, :-)

    eu fico com o Verde!

    ----------------------

    CM, já tenho o livro há uns anitos e gosto muito dele :-)
    _____________

    o amarelo é seu querida fugi:-)

    -----

    Bento,

    repartiremos esse verde, então :-)

    __________________

    Os buscam palavras nos meus Caminhos também são poetas,começando por si, Mie,claro :-)

    ResponderEliminar
  8. Eu ia dizer que fico com o azul do mar, já que o Mike não o levou primeiro.
    Mas como o presente é para a Luísa, que está a ficar sem cores para as suas belas fotografias... pronto, não levo o azul! :-)

    ResponderEliminar
  9. o Azul é teu por direito, Ana!

    Alguem poderá dar-te o que é Teu?

    ResponderEliminar
  10. Minha querida Júlia, sem querer desfeitear as demais visitas, eu queria ficar com todas as cores e com todas as palavras. Mas, felizmente, parece que cores e palavras, ainda podemos partilhá-las sem ficar mais pobres – e antes ficando mais ricos. Obrigada pela lembrança e pelo texto, que é lindíssimo, e no qual me revejo inteiramente, porque nunca ataco o teclado sem o meu «frasco de palavras» ao pé de mim. E depois deste confuso período de festas, parto também à «caça» das cores. Um beijo muito amigo, e um 2009 bom, que a mantenha na melhor forma, aqui junto de nós. :-)

    ResponderEliminar